CARTA DA LÍNGUA TALIAN

CARTA DA LÍNGUA TALIAN

 

Nós, Nação Cultural Taliana, parte integrante da grande nação ítalo-brasileira e parte dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira (art. 216 da CF/88), tendo a Língua Talian reconhecida como Língua de Referência Cultural Brasileira – Patrimônio Cultural Imaterial, incluída pelo Inventário Nacional da Diversidade Linguística, em 2014, conforme título emitido pelo Ministério da Cultura, assim nos identificamos:

 

Descrição:

“… vinculada historicamente aos dialetos provenientes do Norte da Itália, mas com características próprias,derivadas do contexto brasileiro que a diferem da matriz original e também de outras regiões brasileiras.”(certidão emitida pelo Comitê Técnico do Inventário Nacional de Diversidade Linguística (MinC / IPHAN, 2014)

 

Origens na Itália:

54% – Vêneto

33% – Lombardia

7% – Trentino-Alto-Ádige

4,5% – Friuli – Venezia Giulia

1,5% – Piemonte, Emília-Romagna, Toscana e Ligúria

(certidão emitida pelo Comitê Técnico do Inventário Nacional de Diversidade Linguística (MinC / IPHAN, 2014)

 

Localização geográfica:

O Inventário Nacional da Língua Talian realizado em 2009/2010 inventariou municípios nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e Espírito Santo onde a Língua Talian é falada em algumas regiões (noutras, não) e serviu como amostra para o seu reconhecimento.

Porém, com a imigração interna, hoje, a Língua Talian é falada em muitos dos estados brasileiros.

Assim sendo, os municípios inventariados são apenas uma amostra da localização geográfica da Língua Talian.

 

INFORMAMOS

 

  1. Gramática da Língua Talian:

 

A gramática da Língua Talian é objeto de pesquisa de um grupo de Sistematização e será aprovada pela comunidade taliana, inclusive, em observância ao aprovado por ocasião do II Fórum Nacional da Língua Talian e XIII Encontro Nacional dos Difusores da Língua Talian, realizados em Serafina Correa – RS, 13 a 15 de novembro de 2009:

Envio de correspondência ao Grupo da Língua Vêneta Internacional, região do Vêneto, Itália, informando que o Grupo da Língua Talian se abstém de participar das discussões sobre a unificação da referida língua.

 

Ensino da Língua Talian:

 

A transmissão, a difusão e o ensino da Língua Talian sempre primarão pelo respeito e pela valorização de todos os dialetos de origem italiana que a constituem.

A cultura taliana tratará com especial cuidado a transmissão intergeracional da sua Língua.

O ensino da Língua Talian é feito pelos seus legítimos detentores, protagonistas da sua cultura, membros da sua comunidade cultural ou com o seu expresso consentimento.

 

  1. Salvaguarda e promoção da Língua Talian:

 

Protagonismo dos detentores

 

O protagonismo da comunidade taliana será exercido em todos os níveis e ações que digam respeito à Língua Talian e sua cultura e será sempre defendido com diálogo e abrangência.

 

Temas Prioritários:

 

As ações de salvaguarda e valorização da Língua Talian têm como temas prioritários: Ensino e transmissão da Língua Talian; O Talian e os meios de comunicação; Os grupos culturais e artísticos da Língua Talian; O Talian enquanto Patrimônio Cultural e o Turismo; e Produtos Coloniais enquanto bens culturais.

A arquitetura típica da imigração italiana nas comunidades da Língua Taliana Inventariada nas serras gaúchas e no oeste catarinense tem

 

“… Casas com paredes externas de madeira, com três e até quatro pavimentos (no caso de moinhos, cinco), com uma estrutura sem contraventamento, que constitui uma contribuição dos ítalo-brasileiros para a arquitetura mundial. Essa estrutura difundiu-se a ponto de, em áreas muito vastas do Sul do Brasil, na primeira metade do Século XX, as casas de madeira se tornaram o padrão para a habitação popular. (Julio Posenato, arquiteto e pesquisador)

 

Planos:

 

Os planos da Língua Talian serão elaborados em consonância com o disposto, especialmente, no Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (1966), no Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (1966), na Declaração Universal dos Direitos Linguísticos, na Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial (2003), na Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais (2006), na legislação brasileira em vigor, em especial no contexto do Sistema Nacional de Cultura, considerando as dimensões simbólica, cidadã e econômica da cultura, com ações de alcance internacional, nacional, estadual e municipal.

 

Os Planos deverão considerar com especial atenção parcerias com universidades, centros de pesquisa, centros de memória, museus e outras instituições de educação e de cultura, públicas, privadas e comunitárias e outras entidades que possam contribuir com a salvaguarda e promoção da cultura taliana.

 

O Talian reconhece e valoriza a Itália como país de origem, Pátria-Mãe de seus antepassados, bem como as culturas formadoras desta nova língua e manterá diálogo e parcerias para a salvaguarda e valorização.

 

Titularidade e gestão da Língua Talian:

 

A titularidade e a gestão da Língua Talian como Patrimônio Cultural Imaterial – Língua de Referência Cultural Brasileira – é competência e atribuição exercida através do Comitê Nacional de Gestão da Língua Talian, constituído por entidades que requereram o seu inventário e reconhecimento e legitimamente a representam, constituídas pelos detentores dos conhecimentos da cultura taliana, atuais, abaixo subscritas, e outras que venham a existir e sejam aprovadas para participar do Comitê, de forma democrática e participativa, em diálogo com outras organizações da sociedade civil e o poder público em todas as suas esferas no Brasil, na Itália e outras instituições no mundo.

 

Ficam desautorizadas quaisquer representações, encaminhamentos ou negociações da Língua Talian, estranhas à sua titularidade, inclusive o seu ensino.

 

REQUEREMOS DA ONU, DOS GOVERNOS DA ITÁLIA E DO BRASIL:

 

  1. O Direito à Memória e à Verdade da nossa história e da nossa cultura, tanto na Itália como no Brasil,

 

  1. O reconhecimento das agressões sofridas aos Direitos Humanos dos imigrantes e seus descendentes, nunca mencionadas, ignoradas, esquecidas, tanto na Itália como no Brasil;

 

  1. Respeito à titularidade da nossa Língua reconhecida como Língua de Referência Cultural Brasileira – Patrimônio Cultural Imaterial, aos direitos culturais e humanos, e ao exercício do protagonismo da nossa cultura; e

 

  1. Entre os direitos linguísticos, ações imediatas para o direito ao ensino da própria língua e da própria cultura e o direito a uma presença equitativa da língua e da cultura nos meios de comunicação.

 

Requeremos dos governos federal, estaduais e municipais:

 

  1. Editais próprios para a Língua Talian Inventariada com observância da descrição e da localização geográfica já conhecida;

 

  1. Ações imediatas de inventário, reconhecimento e tombamento de patrimônios culturais materiais e imateriais da cultura taliana e ações de salvaguarda, entre outros, dos mestres dos conhecimentos tradicionais, inclusos os difusores da Língua Talian em programas de rádio;

 

  1. Ações imediatas de levantamento dos vários grupos da cultura taliana com discussão e aprovação de editais e programas de revitalização e fortalecimento;

 

  1. O atendimento das proposições feitas nos municípios, nos estados e na União, especialmente as apresentadas nas Conferências Livres da Língua Talian. (Disponível em https://assodita.org.br/);

 

  1. A inclusão na Lei Nº 13.018, de 22/07/2014 que institui a Política Nacional de Cultura Viva, e as suas equivalentes leis estaduais e municipais:

Art. 5o. Visando ao desenvolvimento de políticas públicas integradas e à promoção da interculturalidade, são ações estruturantes da Política Nacional de Cultura Viva: 

…..

XVI – diversidade linguística, em conformidade com o Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 e as normas do Patrimônio Cultural Imaterial

 

XVII – outras ações que vierem a ser definidas em regulamentação pelo órgão gestor da Política Nacional de Cultura Viva; e

 

  1. A discussão de ações e legislação – na esfera federal – que descriminalize o comércio dos produtos coloniais da cultura alimentar tradicional, com a participação da ANVISA.

 

Requeremos do Ministério da Cultura DO BRASIL:

 

  1. A total implementação das ações previstas e determinadas no Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 que instituiu o Inventário Nacional da Diversidade Linguística;

 

  1. O imediato cumprimento do artigo 6º do Decreto Nº 7.387 supracitado

Art. 6o Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios serão informados pelo Ministério da Cultura, em caso de inventário de alguma língua em seu território, para que possam promover políticas públicas de reconhecimento e valorização; e

 

  1. Apoio e recursos financeiros para a continuidade da realização de inventários de abrangências estadual e municipal que garantem a inclusão das comunidades não abrangidas pelo Inventário Nacional do Talian realizado em 2009/2010 e garantam individualidade no contexto da identidade da grande comunidade ítalo-brasileira.

 

Requeremos do governo da Itália:

 

  1. A inclusão da Língua Talian entre as utilizadas pelo governo italiano para a informação e a difusão da cultura italiana no mundo;

 

  1. A inclusão de representante da Língua Talian no ConsiglioGeneraledegliItalianiall’ Estero, indicado pela comunidade taliana; e

 

  1. A veiculação de pesquisas e produções artísticas nos meios de comunicação italianos produzidas pela comunidade taliana sobre a Língua Talian e sua cultura.

 

PROPOMOS AOS governos do Brasil e da Itália:

 

  1. Um acordo de cooperação técnica para ações de salvaguarda e valorização do patrimônio cultural material e imaterial dos imigrantes italianos no Brasil e seus descendentes, especialmente da Língua Talian, com a participação do IPHAN – Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

 

Sananduva – RS, 12 de novembro de 2017.

XXI Encontro Nacional dos Difusores do Talian.

 

Comitato Nassional de Gestion dela Léngua Talian

       ASSODITA – Assossiação dos Difusores do Talian.

        FEIBEMO – Federação de Entidades Ítalo-Brasileiras e de Mestres e Ofícios da Cultura Taliana

        FIBRA –Federação de Entidades Ítalo-Brasileiras do Rio Grande do Sul.

 

Nedi Terezinha Locatelli

Cordinadora

FEIBEMO e ASSODITA (Ipumirim – SC)

 

Aliduino Zanella

FEIBEMO (Caçador – SC)

Dirceu Luis Magri

ASSODITA (Frederico Westphalen – RS)

João Wianey Tonus

FIBRA RS (Caxias do Sul – RS)

Jordão Zanella

FEIBEMO e ASSODITA (Concórdia – SC)

Juvenal Jorge Dal Castel

ASSODITA (Porto Alegre – RS)

Lair Eduardo Magni Zanatta

FIBRA RS e ASSODITA (Não Me Toque – RS)

Paulo José Massolini

FIBRA RS e ASSODITA (Serafina Correa – RS),

Wilson Canzi

ASSODITA e FEIBEMO (Pinhalzinho – SC)

 

 

CARTA DELA LÉNGUA TALIAN (Traduzida para o Talian)

 

Noantri, Nassion Cultural Taliana, partìcipi dela granda nassion italobrasiliana e parte de difarenti grupi costituinti dela comunità brasiliana (Art. 216 dela CF/88), gavendo la Léngua Talian ricognossesta come Léngua de Riferensa Cultural Brasilana – Patrimònio Cultural Imaterial, inclusa par el Inventàrio Nassional dela  Diversità Lenguìstica, ai 2014, de acordo con el tìtolo dato par el Ministero dela Cultura, cossì se identifichemo:

 

Descrission:

 “… vincolada storicamente ai dialeti oriundi del Nord dela Itàlia, ma con caraterìstiche pròpie, oriunde del contesto brasilian che el difere dela matrise original e anca de altre region brasiliane.(certifica data par el Comité Tènico del Inventàrio Nassional dela Diversità Lenguìstica, (MinC / IPHAN, 2014)

 

Orìgine ntela Itàlia:

54% – Véneto

33% – Lombardia

7% – Trentino-Alto-Àdige

4,5% – Friuli-Venèzia Giùlia

1,5% – Piemonte, Emìlia Romagna, Toscana e Ligùria

(certifica data par el Comité Tènico del Inventàrio Nassional dela  Diversità Lenguìstica, (MinC / IPHAN, 2014)

 

Localisassion Geogràfica:

El Inventàrio Nassional dela Léngua Talian fato ai 2009/2010 el ga inventarià munissìpii ntei stadi del Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e Espírito Santo ndove la Léngua Talian la ze parlada in qualche region (in altre, nò) e ga giovà come mostra par el so ricognossimento.

Magari, cola migrassion interna, ancoi, la Léngua Talian la ze parlada in arquanti altri stadi brasiliani.

Cossì, i munissìpii inventariadi i ze solche una mostra del posto geográfico dela Léngua Talian.

 

INFORMEMO:

 

  1. Gramàtica dela Léngua Talian:

 

La gramàtica dela Léngua Talian la ze ogeto de rissercca de un grupo de Sistematisassion e la sarà aprovada par la comunità taliana, e anca, in osservansa a quel che el ze stato aprovà ntel II Foro Nassional dela Léngua Talian e XIII Incontro Nassional dei Difussori del Talian sucedesto a Serafina Correa – RS, 13 a 15 de novembre dei 2009:

 

Invio de corispondensa al Grupo dela Léngua Vêneta Internacional, Region del Véneto, Itàlia, informando che el Grupo dela Léngua Talian el se astene de participar dele discussion sora la unificassion dela riferida léngua.

 

Insegnansa dela Léngua Talian

La trasmission, la difusion e la insegnansa dela Léngua Talian sempre gavarà in conto el rispeto e el ricognossimento del grando valor de tuti i dialeti de orìgine italiana de che la ze stata formada.

La cultura taliana la starà atenta con tantìstima cura ala trasmission dela so léngua fra le generassion.

L’insegnansa dela Léngoa Talian l’è fata par i so legìtimi detentori, protagonisti dela sua cultura, membri dela sua comunità cultural o con el suo spresso permesso.

 

  1. Salvaguàrdia e promossion dela Léngua Talian

Protagonismo dei detentori

El protagonismo dela comunità taliana sarà compio in tuti i liveli e assion che dise rispeto ala Léngua Talian e la sua cultura e sarà sempre difendesto con diàlogo in tuta la so stension. (Carta dela Léngua Talian) .

 

          Temi Prioritàrii

Le assion de salvaguàrdia e valorisassion dela Léngua Talian le ga come temi prioritàrii: Insegno e trasmission dela Léngua Talian; El Talian e i strumenti de comunicassion; I grupi culturai e artìstichi dela Léngua Talian; El Talian intanto Patrimònio Cultural e el Turismo; e prodoti dela colònia intanto ben culturai.

La architetura tìpica dela imigrassion italiana ntele comunità de Léngua Talian inventariada ntela Serra Gaúcha e ntel Oeste Catarinense ga

… Case com le parede de fora de taole, con tre e dele olte anca quatro pavimenti (i molini, anca sìnque), con una strutura sensa contraventamento che costitui una contribuission dei italibrasiliani par la architetura mondial.

Questa strutura se ga difondesta a punto de, in tanti posti del Sud del Brasil, ntela prima metà del Sècolo XX, le case de legno le ze deventade padron par la abitassion popolar.

(Júlio Posenato, architeto e rissercador)

 

Piani (secondo el Sistema Nassional de Cultura)

 

I Piani dela Léngua Talian i sarà fati d´acordo con quel che‘l ze disposto, spessialmente, ntel Acordo Internassional dei Diriti Civili e Polìtichi (1966), ntel Acordo Internassional dei Diriti Econòmichi, Sociai e Culturai (1966), ntela Dechiarassion Universal dei Diriti Lenguìstichi, ntela Convension par la Salvaguàrdia del Patrimònio Cultural Imaterial (2003), ntela Convension sora la Protession e Promossion dela Diversità dele Spression Culturai (2006), ntela legislassion brasiliana in vigensa, spessialmente ntel contesto del Sistema Nassional de Cultura, gavendo in conto le dimension simbòliche, citadine e econòmiche dela cultura, con assion internassional, nassional, stadoal e munissipal.

 

I Piani i dovarà considerar i acordi de aiuto e, con spessial atension, i acordi con le Uiversità, Centri de Risserca, Centri de Memòria, Musei e altre istituission de educassion e cultura, pùbliche, privade e comunitàrie e altre entità che le possa contribuir con la salvaguàrdia e promossion dela cultura taliana.

 

El Talian ricognosse e valorisa la Itàlia come Paese de orìgine, Pàtria-Mama dei soi antenati, ben come le culture formadore de questa nova léngua e mantegnerà diàlogo e compagnia par la so salvaguàrdia e valorisassion.

 

TITULARITÀ E GESTION DELA Léngua TALIAN

 

La titularità e la gestion dela Léngua Talian come Patrimònio Cultural Imaterial – Léngua de Riferensa Cultural Brasiliana – ze competensa e atribuission fata par el Comitato Nassional de Gestion dela Léngua Talian, costituio par le entità che le ga dimandà el suo inventàrio e ricognossimento e legitimamente la ripresenta, costituide par i detentori del cognossimento dela cultura taliana, atuai, sotoscriti, e altre che vegnarà a esistir e sìpie aprovade par participar del Comitato, de forma democràtica e participativa, in diàlogo con altre organisassion dela società civil e el poder pùblico e in tute le altre sfere ntel Brasil, ntela Itàlia e altre istituission ntel mondo.

 

Resta disautorisade qualùnque ripresentassion, incaminamenti o negossiassion dela Léngua Talian, strànie ala sua titularità, anca el suo insegno.

 

DIMANDEMO ALA ONU E AI GOVERNI DELA ITÀLIA E DEL BRASIL:

 

  1. El dirito ala Memòria e ala Verità dela nostra stòria e dela nostra cultura, tanto ntela Itàlia come ntel Brasil;
  2. El ricognossimento dele agression sofreste ai diriti umani dei imigranti e i sui dissendenti, mai mensonade, ignote, desmentegade, tanto ntela Itàlia come ntel Brasil;
  3. Rispeto ala titularità dela nostra Léngua ricognossesta come Léngua de Riferensa Cultural Brasiliana – Patrimònio Cultural Imaterial, ai diriti culturai e umani, e al esercìssio del protagonismo dela nostra cultura; e
  4. Fra i diriti, assion imediate par el dirito al insegno dela pròpia léngua e dela pròpia cultura e el dirito a una presensa equitativa dela léngua e dela cultura ntei strumenti de comunicassion.

 

DIMANDEMO AI GOVERNI FEDERAL, STADOAL E MUNISSIPAL:

 

  1. Editai pròpii par la Léngua Talian inventariada con osservànsia dela descrission e dela localisassion geogràfica belche ricognossesta;

 

  1. Assion imediate del inventàrio, ricognossimento e tombamento de patrimònii culturai materiai e imateriai dela cultura taliana e assion de salvaguàrdia, tra altri, dei maestri del cognossimento tradissional, tra meso questi anca i difusori dela Léngua Talian con i so programi de ràdio;

 

  1. Assion imediata de risserca dei grupi dela cultura taliana con discussion e aprovassion de editi e programi de revitalisassion e fortificassion;

 

  1. El atendimento dele proposission fate ntei munissìpii, stadi e ntela Union, spessialmente quele presentade ntele conferense lìbere dela Léngua Talian. (Disponìbile in https://assodita.org.br/);

 

  1. La inclusion ntela Lege Nº 13.018, de 22/07/2014 che ga istituio la Polìtica Nassional de Cultura Viva, e le sue echivalente lege stadual e munissipal:

 

Art. 5o. Visando el svilupamento de polìtiche pùbliche integrade e ala promossion dele diverse culture, queste le  ze assion struturai dela Polìtica Nassional de Cultura Viva:

XVI – diversità linguìstica, in conformità con el Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 e le  norme del Patrimònio Cultural Imaterial.

 

XVII altre assion che vegnarà a esser definide in regulamentassion par el òrgano gestor dela Polìtica Nassional de Cultura Viva; e

 

  1. La discussion de assion e legislassion – ntela sfera federal – che no el sia considerà crime el comèrsio dei produti coloniai dela cultura alimentar tradissional, con la participassion dela ANVISA.

 

 

dimandemo al MINISTERO DELA CULTURA DEL BRASIL:

      

  1. La intiera implementassion dele assion previste e determinade ntel Decreto Nº 7.387 de 09/12/2010 che ga istituio el Inventàrio Nassional dela Diversità Lengoìstica;

 

  1. Meter in pràtica imediata el artìcolo 6º del Decreto Nº 7.387:

 

Art. 6o    I stadi, el Distrito Federal e i munissìpii i sarà informadi par el Ministero dela Cultura, in caso de inventàrio de qualche léngua ntel suo teritòrio, par che i possa promover polìtiche  pùbliche de ricognossimento e valorisassion; e

 

  1. Apògio e ricursi finansiari par la continuità dela realisassion de inventàrii che ciapa rento i stadi e i munissìpii e cola garansia de inclusion dele comunità restade fora del Inventário Nassional del Talian realisà in 2009/2010 e cola garansia de rispetar la individualità ntel contesto dela identitá dela granda comunità italobrasiliana.

 

dimandemo aL GOVERNO DELA ITÀLIA:

   

  1. La inclusion dela Léngua Talian fra quele doperade par el governo italiano par la informassion e la difusion dela cultura italiana ntel mondo;

 

  1. La inclusion de representante dela Léngua Talian ntel Consiglio Generale degli Italiani all’Estero, indicà par la comunità taliana; e

 

  1. La divulgassion de risserche e produssion artìstiche ntei veìcoli de comunicassion italiani produside par la comunità taliana sora la Léngua Talian e la sua cultura.

 

PROPONEMO AI GOVERNANTI DEL BRASIL E DELA ITÀLIA:

 

  1. Un acordo de comperassion tènica par assion de salvaguàrdia e valorisassion del patrimònio cultural material e imaterial dei imigranti italiani ntel Brasil e sui dissendenti, spessialmente dela Léngua Talian, con la participassion del IPHAN – Istituto del Patrimònio Stòrico e Artìstico Nassional.

 

Sananduva – RS, 12 de novembre de 2017.

XXI Incontro Nassional dei Difusori del Talian

 

Comitato Nassional de Gestion dela Léngua Talian

ASSODITA – Associassion dei Difusori del Talian.

FEIBEMO – Federassion de Entità Italobrasilia e de Maestri e Ofìssii dela Cultura Taliana

FIBRA – Federassion de Entità Italobrasiliane del Rio Grande del Sul  

Nedi Terezinha Locatelli

Cordinadora

FEIBEMO e ASSODITA (Ipumirim – SC)

Aliduino Zanella

FEIBEMO (Caçador – SC)

Dirceu Luis Magri

ASSODITA (Frederico Westphalen – RS)

João Wianey Tonus

FIBRA RS (Caxias do Sul – RS)

Jordão Zanella

FEIBEMO e ASSODITA (Concórdia – SC)

Juvenal Jorge Dal Castel

ASSODITA (Porto Alegre – RS)

Lair Eduardo Magni Zanatta

FIBRA RS e ASSODITA (Não Me Toque – RS)

Paulo José Massolini

FIBRA RS e ASSODITA (Serafina Corrêa – RS),

Wilson Canzi

ASSODITA e FEIBEMO (Pinhalzinho – SC)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: