O Talian no CNPC

O Talian no CNPC

16/12/2015 – 20:06:26

Participar do CNPC – Conselho Nacional de Política Cultural um dos canais de diálogo do governo federal com a sociedade civil dando visibilidade à cultura Taliana. Para alcançar este objetivo se empenharam Euracelia Pilonetto Reginato, de Seara, Jordão Zanella, de Concórdia, Aliduino Zanella, de Caçador e Nedi Terezinha Locatelli, de Ipumirim, concorrendo a vagas nos Colegiados Setoriais de Música e de Patrimônio Imaterial.

Representantes do Talian Ino X Encontro Nacional da Cultura Popular, em Serra Talhada,– Jordão, Nedi e Aliduino

O processo eleitoral para os delegados estaduais aconteceu nos meses de setembro e outubro e foi virtual. Mais de 70 mil brasileiros participaram da votação. A etapa nacional aconteceu no decorrer de novembro em eleições presenciais nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e Serra Talhada – PE onde também aconteceu o IX Encontro Nacional da Cultura Popular.

Ao todo, o CNPC conta com 17 Colegiados Setoriais das seguintes áreas: Cultura Popular e Tradicional, Artesanato, Patrimônio Imaterial, Cultura Afro-brasileira, Moda, Design, Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material, Arquivos, Dança, Teatro, Música, Arte Digital, Artes Visuais, Livro, Leitura e Literatura e Circo. Cada colegiado é formado por 20 titulares (cinco do poder público e 15 representantes da sociedade civil) e 20 suplentes. Ao todo foram eleitos 285 representantes da sociedade civil.

O CNPC participa de atividades como a supervisão da construção do Plano Nacional de Cultura (PNC), conjunto de princípios, objetivos, diretrizes, estratégias e metas que devem orientar o governo na formulação de políticas culturais.

As atividades dos integrantes do CNPC é pública e relevante e não é remunerada. Eles recebem ajuda de custo com transporte e diária, que inclui gastos com hospedagem e alimentação durante os dias de reunião.

Euracelia Reginato, eleita para o Setorial de Música, onde também se enquadram os grupos de canto coral, defende a valorização dos “pequenos” conjuntos musicais – regionais – de todas as etnias e estilos, apoio ao cumprimento da Lei nº 11.769 de 18/08/2008 que obriga ao ensino de Música nas escolas e quer ainda a discussão e aprovação de políticas públicas para grupos de canto e corais – de todas as etnias e estilos -, inclusive para comunidades rurais.

Representantes de bens culturais registrados em reunião com o IPHAN

Jordão Zanella, candidato eleito pelo sistema virtual e Aliduino Zanella, delegado nato, afinam seu discurso com Nedi Terezinha Locatelli no Patrimônio Imaterial, ela que foi reeleita para mais um mandato de 2 anos neste Colegiado Setorial. Entre outros itens e além de políticas para a diversidade lingüística, onde o Talian está diretamente vinculado, e de garantia dos direitos difusos e coletivos na cultura, também defendem a discussão de uma legislação específica para os produtos artesanais da cultura alimentar.

Falando na plenária do IX Encontro Nacional da Cultura Popular, em Serra Talhada, no dia 28/11, Nedi denunciou que produtores estão sendo tratados como bandidos – situação inadmissível – e cobrou do MinC atitudes de defesa dos mestres da cultura alimentar. “Pelas convenções internacionais de cultura, estes que são tratados como infratores, são os mestres, os guardiões dos conhecimentos tradicionais da cultura alimentar. E isso não é pouca coisa!” declara a conselheira titular de Patrimônio Cultural Imaterial.

Nedi, Aliduino e Jordão também participaram de reunião da Rede de Bens Registrados com o IPHAN. O Talian é patrimônio cultural registrado como língua de referência cultural brasileira.

Santa Catarina é o único estado que teve representantes do Talian nas eleições nacionais do CNPC, todos integrantes da FEIBEMO – Federação das Entidades Ítalo-Brasileiras do Meio Oeste e Planalto Catarinense dando representatividade também à ASSODITA – Associação dos Difusores do Talian, de abrangência nacional.

Fonte:

DaHora Online

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: